Ā 

Hoje vamos falar de Cerejas šŸ’ā¤šŸ’.

Estes bombons docinhos que a natureza nos oferece nesta Ʃpoca e que pelas excecionais caracterƭsticas edafoclimƔticas (Solo+Clima) da Cova da Beira, resultam numa fruta considerada como a melhor do mundo, um verdadeiro ex-libris deste nosso vale entre as Serras da Gardunha e da Estrela.



Como em quase todas as frutas existem diversas variedades, modos de produĆ§Ć£o e cuidados, o que faz com que a Cereja nĆ£o seja toda igual. A fruta apresenta diferentes calibres, doƧura, consistĆŖncia, cor e forma. Ɖ tambĆ©m fundamental analisar continuamente o estado de maturaĆ§Ć£o da fruta para saber a altura certa para a colher. E Ć s vezes nĆ£o dĆ” mesmo para a colher, como aconteceu um dia desta Ćŗltima semana quando choveu. E Ć s vezes a natureza, com a sua imprevisibilidade (granizo) deixa-nos mesmo praticamente sem cereja como aconteceu no ano passado.


Nas Ćŗltimas semanas temos enviado as variedades ā€œBrooksā€, ā€œPrime-Giantā€, ā€Folferā€ e tambĆ©m alguma ā€œSaco da Cova da Beiraā€. As diferentes variedades vĆ£o ficando aptas para a colheita em diferentes alturas, pelo que as referidas variedades podem ser consideradas mais precoces.


JĆ” sabe, colhemos de manhĆ£, enviamos Ć  tarde, no dia seguinte estĆ£o em sua casa, super fresquinhas. šŸ’


0 visualizaĆ§Ć£o0 comentĆ”rio
Ā